QUESTÕES FREQUENTES

Não sou o que me aconteceu, sou o que escolho ser” Jung

A psicologia é a ciência que estuda o comportamento humano, os processos mentais assim como a relação entre eles e os comportamentos observáveis e os não observáveis, procurando princípios gerais que os expliquem.

É um ramo da psicologia especializada no desenvolvimento e emprego das técnicas terapêuticas e de diagnóstico para a identificação e tratamento de problemas comportamentais. Assenta na individualidade do sujeito, na sua especificidade, visando explicar o seu funcionamento psicológico como um todo. O psicólogo clínico auxilia o indivíduo a adquirir uma maior capacidade de análise e compreensão dos seus sentimentos e atitudes sendo assim possível obter as “ferramentas” necessárias para reagir de modo adaptativo aos seus problemas e mudanças na vida quotidiana.

O psicólogo tem formação superior na área da psicologia enquanto o psiquiatra é um profissional de medicina que, após ter concluído a sua formação, opta pela especialização em psiquiatria. O psiquiatra prescreve medicamentos, uma habilidade que não está inerente à prática da psicologia.

» Facilidade de horários
Nas clinicas com as quais colaboro os horários são alargados e flexíveis iniciando bastante cedo pela manhã e terminando num horário tardio, sábados incluídos. O mesmo se aplica às consultas à distância.

»Facilidade de localização
As clínicas onde trabalho estão localizadas em diversos pontos estratégicos e acessíveis (com estacionamento e transportes públicos) na cidade de Lisboa e em Santarém.

»Preços acessíveis
São aplicadas reduções significativas no preço das consultas mediante existência de acordos/seguros de saúde e em situações comprovadas de desemprego.

» Diversidade de pacientes
Fruto da minha experiência profissional e dos locais onde exerci/exerço a minha prática clínica, tenho tido o privilégio de acompanhar pacientes de todas as idades (a partir dos 16 anos), com diversos problemas de vida e psicopatologias (doenças do foro psicológico).

» Diversidade de psicopatologias
Tenho tido casos de sucesso com diversas psicopatologias nomeadamente ataques de pânico, ansiedade generalizada; perturbação obsessivo-compulsiva; dependência de substâncias; perturbações do sono; depressão; bipolaridade; dificuldades no relacionamento sexual; esquizofrenia e outras psicoses; burnout; perturbações da personalidade; perturbações psicossomáticas; perturbações alimentares

»Diversidade de problemas de vida
É comum recorrerem às minhas consultas pacientes com problemas de vida múltiplos como o luto; perda de emprego; divórcio/separação; dificuldade na gestão de emoções (raiva, odio, medo, etc); conflitos relacionais; indecisão e insatisfação profissional ou pessoal.

»Intervenção personalizada
Por mais que um psicólogo tenha estudado, por mais livros que tenha lido, cada paciente é singular e como tal a visão que tenho sobre o mesmo e a respetiva intervenção é sempre única, personalizada, empática e livre de quaisquer julgamentos.

» Intervenção organizada e focada nos resultados
A minha intervenção é pensada de forma a que tenha a menor duração possível mas com resultados sólidos e duradouros havendo respeito máximo pelo ritmo do paciente. Embora o momento de alta seja acordado com o mesmo, a intenção é que o paciente obtenha as ferramentas necessárias para se tornar independente do acompanhamento psicológico.
No início de cada consulta são recordados os objetivos cumpridos na sessão anterior e no final é feito um resumo e são estabelecidos os próximos objetivos. Deste modo, é possível para mim e para o paciente estar a par do trabalho que está a ser efetuado.

» Ética e deontologia
O meu trabalho é sempre pautado pelo Código de Ética e Deontologia da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP

O valor de cada consulta depende da modalidade da mesma (consulta presencial, à distância ou SOS).

Contudo, os valores de consulta são significativamente inferiores para casos devidamente comprovados de desemprego, para quem aufere de apoio social e para alguns seguros de saúde.

Clique aqui para solicitar mais informações.

A primeira consulta pode ser descrita como uma entrevista onde serão solicitadas informações sobre si.

Inicialmente será convidado a entrar no gabinete e a sentar-se numa das duas cadeiras disponíveis. O psicólogo irá perguntar qual o motivo que o levou a marcar a consulta. O cliente é livre para falar e contar tudo o que quiser do modo que preferir. Se o cliente tiver dificuldade em explicar a sua queixa, o psicólogo poderá dirigir a conversa, colocando questões concretas.

Durante 60 a 90 minutos o psicólogo irá ouvi-lo atentadamente procurando compreender os motivos do seu pedido. No final da primeira consulta e, após ter chegado a uma conclusão, o psicólogo irá dizer-lhe o que considera mais adequado face a tudo aquilo que lhe contou. Ou seja, qual o prognóstico do acompanhamento psicológico, que resultados pode esperar da intervenção e como a mesma se processará dai em diante.

Nem sempre uma entrevista é suficiente para permitir o entendimento do que se está a passar e com isso delinear uma estratégia de atuação, pelo que é provável que lhe seja proposta mais uma ou duas entrevistas para alcançar a informação necessária a fim de perceber exatamente o que é melhor para si em termos de intervenção. Em caso de necessidade, também poderá ser proposta uma avaliação com recurso a testes de avaliação psicológica.

A honestidade é crucial para o progresso terapêutico. O psicólogo trabalha apenas com o que é relatado pelo cliente não inferindo qualquer dado para além do que é dito em sessão. Um bom trabalho depende fortemente da entrega e sinceridade do cliente. Contudo, se existirem questões relativamente às quais não se sente preparado para falar, o psicólogo irá aguardar pelo momento em que, livremente se sinta confortável para fazê-lo. O acompanhamento segue sempre o ritmo do cliente cabendo a si decidir o que revelar.

A primeira consulta tem uma duração que vai desde 60 a 90 minutos, dependendo da necessidade. As consultas de seguimento duram 60 minutos. Está presente na sala um relógio através do qual o psicólogo controla o tempo, sendo o cliente informado quando restarem 10 minutos para o final da sessão.

Não, o psicólogo não está habilitado para receitar fármacos.

A duração de um acompanhamento psicológico assenta no facto de a mente humana não mudar com facilidade. Todos nos acostumamos a ver e viver a vida de uma determinada forma alicerçada em padrões de personalidade fortemente enraizados. Por este motivo, promover a modificação desses padrões é algo que pode demorar algum tempo sendo este variável consoante o caso.Muitas vezes não são necessárias intervenções de longa duração para obter benefícios. E, com frequência, são próprios clientes, ao se aperceberem dos resultados das consultas, que solicitam que o acompanhamento seja prolongado.

A ajuda do psicólogo não equivale à ajuda de um conhecido ou familiar, é uma ajuda especializada, direcionada e científica. Tendencialmente, as pessoas melhoram significativamente com o processo terapêutico, não só a nível sintomático, mas também no que concerne ao seu autoconhecimento e aprendizagem de estratégias para lidar com problemas futuros.

O psicólogo está ética e deontologicamente obrigado a manter a mais estrita confidencialidade relativa a qualquer informação sobre os seus clientes. São exceções os casos em que a pessoa constitui um perigo para a sua própria vida ou para a vida de terceiros. Nesses casos, o psicólogo informa primeiramente o cliente e, posteriormente, as entidades competentes.

A durabilidade do processo terapêutico é variável conforme o caso e os progressos obtidos ao longo do tempo. Esta questão é periodicamente debatida e avaliada entre o cliente e o psicólogo. A qualquer momento o cliente poderá abandonar o acompanhamento e, se desejar, voltar a iniciá-lo mais tarde.Tradicionalmente, a periodicidade do processo terapêutico é semanal (uma ou duas vezes por semana), sobretudo nos momentos iniciais da terapia. No entanto, este aspeto é variável, sendo acordado entre o terapeuta e o cliente.

Nas consultas iniciais (poderá ser uma ou mais) será analisado o seu caso específico e, no final, ser-lhe-á transmitida uma análise/resumo do caso onde são abordadas as diversas opções de resolução do seu problema. A decisão de optar pelas soluções propostas pelo psicólogo é sempre sua.

As consultas via videochamada são realizadas através de skype ou, em alternativa, whatsapp. São duas plataformas gratuitas que poderá facilmente instalar no seu computador, tablet ou smartphone desde que esteja equipado com câmara frontal e microfone (preferencialmente recorrendo a auriculares).
Para que possa usufruir em plenitude da consulta é importante certificar-se que se encontra num local com adequado acesso à internet e que seja calmo, silencioso, sem interrupções, onde se sinta confortável para abordar os assuntos que desejar.

À semelhança das consultas presenciais, a  primeira consulta tem uma duração entre 60 e 90 minutos (mediante a necessidade), sendo que as restantes têm a duração de uma hora.

Os honorários são pagos antes da consulta através de MBWay ou transferência bancária, como preferir o cliente. Logo após, será enviado via email a respetiva fatura-recibo. A marcação fica confirmada apenas quando o pagamento é efetuado. 

Caso deseje desmarcar a consulta, o valor será restituído na totalidade até 24 horas de antecedência. Caso a desmarcação ocorra num prazo inferior, ser-lhe-á devolvido metade do valor. Na eventualidade de eu não comparecer na consulta ou se ocorrer algum problema permanente de ligação/erros técnicos da minha parte, é-lhe restituído o total valor da mesma. 

Não. As consultas à distância via videochamada têm equivalente eficácia quando comparadas com as consultas presenciais. Tendo em conta que a fase pandémica que vivemos atualmente obriga ao uso de máscara, as consultas via videochamada representam um acesso facilitado e completo às expressões faciais.

Não. Muitas pessoas optam por ir ao psicólogo com o intuito de fazerem uma “higienização” mental, ou seja, para conversarem sobre o que ocorre nos seus dias, para se conhecerem melhor e obterem estratégias saudáveis para lidar com questões pontuais que possam surgir. Em alguns países ir ao psicólogo é visto como equivalente à ida ao ginásio, ao cabeleireiro… trata-se de um hábito saudável que promove o bem estar geral.

Facebook

Facebook Pagelike Widget

Instagram

Subscreva a minha Newsletter

Copy link
Powered by Social Snap